Títulos Públicos

Títulos públicos são o meio pelo qual os governos (federal, estaduais e municipais) utilizam para captar recursos no mercado financeiro. Ou seja, a venda de títulos públicos nada mais é do que os governos tomando empréstimos junto a outras pessoas… são os governos se endividando, a fim de complementar suas receitas e poderem executar suas ações nos diversos setores em que atuam: saúde, segurança publica, educação infraestrutura etc.

Não ouvimos falar muito dos títulos públicos estaduais e municipais, pois suas compras e vendas são restritas a certas pessoas, diferente do que acontece com os títulos públicos federais, que, a partir de 2002, com a implantação do Programa chamado Tesouro Direto, passaram a estar acessíveis a toda a população, permitindo que qualquer pessoa com CPF pudessem adquiri-los.

Sim, pessoal! Tesouro Direto não são os títulos públicos que podemos comprar, e sim um Programa do Governo Federal que permite as pessoas FÍSICAS a comprarem títulos públicos federais. Com outras palavras, é através do Programa Tesouro Direto que eu, você ou qualquer outra pessoa, tendo CPF, empresta dinheiro ao Governo FEDERAL.

Os títulos públicos também são investimentos de renda fixa, ou seja, já que se trata de um empréstimo, o dinheiro emprestado ao governo será devolvido, em uma data futura, acrescido de juros.

Quanto ao tempo destes empréstimos, os títulos públicos podem ser classificados em curto, médio e longo prazo. Já quanto à taxa de rentabilidade estes podem ser prefixados, pós-fixados, ou mistos (indexados a um índice de inflação mais um taxa prefixada).

Os títulos públicos, junto com a poupança, são os investimentos mais democráticos do Brasil, já que suas compras podem se dar a partir de R$30,00 e o tratamento dispensado pelo Governo Federal aos pequenos investidores será o mesmo ao de quem tem milhões investidos nestes investimentos. Isso quer dizer que a taxa de rentabilidade oferecida pelo governo é uma só, seja você um grande, médio ou pequeno investidor.

E, apesar de sempre ficarmos com um “pé atrás” com os nossos governos, os títulos públicos ainda são os investimentos mais seguros do país, uma vez que são garantidos, em sua integralidade, pelo Tesouro Nacional.

Gostou? Compartilhe aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *